Em formação

O menino órfão e o cachorro alce


O menino órfão e o cachorro alce

A jornada de um órfão em direção à natureza

O menino órfão é um menino de 12 anos do vilarejo de Gogol-Saga, um vilarejo remoto nas montanhas no norte da Mongólia, longe da agitação da vida urbana. A aldeia está situada em um vale a cerca de 1800 metros acima do nível do mar, rodeada por montanhas nevadas e prados de flores. Para quem está de fora, o lugar parece ser a imagem perfeita de uma parte do mundo idílica, intocada e intocada.

Esta é a história de um menino que, aos 12 anos, encontrou um novo lar no mundo.

A palavra mongol tölöd significa órfão. Na Mongólia moderna, a palavra agora tem a conotação de uma criança que perdeu sua família devido a uma tragédia. Na velha Mongólia, um tölöd era um menino que perdera os pais em desastres naturais. Assim, o termo tradicional mongol também pode ser traduzido como “menino órfão” ou “menino perdido”.

No ano 2000, um homem da Gogol-Saga foi escolhido para cuidar do menino órfão, cujo nome era Orgil. Eles se conheceram a partir do momento em que ele descobriu que era órfão e ela aprendeu a falar mongol. Orgil foi criado aos cuidados do pastor, que também era chefe da escola da aldeia.

Este não era um arranjo permanente. O menino e o pastor costumavam se encontrar duas vezes por ano para trocar notícias e organizar novos eventos.

Aos cinco anos, Orgil perdeu seus pais durante uma enchente. Ele foi então acolhido e criado pelo chefe da Gogol-Saga. Ele frequentou a escola local, foi para o hospital e tornou-se um pastor de sucesso. Este era o mundo que Orgil conhecia.

Quando Orgil tinha oito anos, aconteceu uma tragédia. Sua aldeia foi atacada e muitos moradores, incluindo seu zelador, foram mortos.

Como resultado, Orgil teve que deixar a aldeia. O pastor o acolheu e ensinou-lhe as formas de sobrevivência no mundo exterior.

Ele aprendeu como fazer as tarefas domésticas, criar gado e ser autossuficiente. Aprendeu a conviver com a solidão, afastando-se dos amigos e do próprio povo.

Para viver no novo mundo, Orgil teve que mudar seus hábitos. Ele se tornou mais sério, mais independente, menos criança e mais homem. Ele tinha dez anos quando finalmente retornou à Gogol-Saga. Os anos que se seguiram foram repletos de aprendizado e diversão.

Uma história sem fim

Depois que Orgil voltou para a aldeia, esperava-se que ele se tornasse um adulto. Mas Orgil, uma criança tímida que amava os animais e a natureza, ainda não queria perder a infância. Ele continuou a usar seu traje tradicional, mesmo quando fez dezesseis anos.

Uma garota especial chamada Lyutumi entrou na vida de Orgil. Lyutumi não era apenas bonita, mas também brilhante. Orgil não estava acostumado com meninas e jovens adultos mais brilhantes do que ele.

Na primavera de seu décimo sétimo aniversário, ele e Lyutumi se casaram.

O casamento foi um sucesso e a vila estava orgulhosa do jovem casal.

Após o casamento, Orgil e sua esposa começaram sua nova vida no mundo exterior.

A vida era boa. O pastor era respeitado e a esposa estava feliz.

Um dia, enquanto Orgil estava trazendo ovelhas para o pasto, ele foi atingido por uma vara e o sangue escorreu por seu braço.

"Ele está machucado!" sua esposa chorou. Orgil a ouviu, mas não respondeu. Ele seguiu o cheiro de sangue até uma árvore.

Enquanto ele puxava o graveto do braço, seu sangue caiu no chão. A ferida era profunda. Cortou o músculo e ele sangrou muito.

Orgil ouviu a esposa chamando-o e disse-lhe que voltasse para casa, pois as mulheres da aldeia traziam os remédios. Orgil queria dizer a ela que estava bem. Ele havia cortado a pele de seu braço enquanto puxava o graveto de seu braço. Ele não estava nem um pouco preocupado.

Enquanto Orgil tentava beber o remédio, ele desmaiou.

Depois que Orgil recuperou a consciência, a velha disse: "Você foi envenenada pelo remédio".

O pastor acenou com a cabeça e ele se deitou na cama. O ferimento em seu braço era tão grande que sua mão subiu até o ombro. A esposa e a mãe de Orgil ficaram com ele por duas semanas. Quando ele se recuperou, ele voltou para a aldeia.

Um jovem pastor veio à aldeia e pediu uma audiência com o chefe da aldeia. O chefe chamou Orgil para entrar na casa. Orgil sentou-se na sala e o chefe perguntou: "Ouvi dizer que você é o novo pastor da aldeia."

Orgil não falou. O chefe disse: "Acho que seria bom para você ficar na aldeia."

Orgil abanou a cabeça: "Quero ir para a outra aldeia."

O chefe perguntou: "Por que você está procurando outro lugar para morar?"

Orgil disse: "É verdade que meu braço está ferido, mas não adianta ficar no mesmo lugar, nunca se sabe o que pode acontecer. Quero estar em um lugar diferente."

O chefe disse: "Eu entendo sua situação. O pastor que foi enviado a você não pertence a este lugar. Você pode vir à nossa aldeia e o chefe da aldeia ficará muito feliz em vê-lo."

"Eu quero ver o chefe da aldeia."

"Você pode ir ver o chefe. Ele está na casa."

O chefe trouxe o menino que foi enviado a Orgil para a casa de Orgil. Quando o pastor entrou, o chefe o seguiu. O chefe viu que a esposa e a mãe de Orgil estavam sentadas, mas não olharam para ele. Ele entrou em casa e sentou-se ao lado da esposa de Orgil. O chefe então chamou o pastor para entrar.

“Eu sou o pastor que trouxe Orgil para a aldeia. Ele trouxe três ovelhas e um saco de sementes para começar seu próprio rebanho. Quando eu dei a ele seu rebanho, ele me deu dez sacos de sementes de presente. Eu vim aqui e encontrei que ele tinha saído da aldeia. Ele levou dez sacos de sementes com ele e foi morar em outra aldeia. Ele disse que você tinha uma família grande para cuidar e que não poderia ficar. Disse que iria volte algum dia para ver como você está. Vim aqui para ver como você está. O outro pastor é meu filho. "

A esposa e a mãe de Orgil ergueram os olhos para o pastor. Sua esposa tinha uma expressão de medo no rosto. Ela perguntou: "O que aconteceu com Orgil?"

"Nada aconteceu com ele. Ele foi morar na próxima aldeia. Ele ia voltar, mas não pôde por causa de sua família."

"Onde ele vai ficar?"

"Ele foi para uma aldeia diferente."

"O que aconteceu com você? Quem pegou sua semente?"

"Meu filho. Ele é meu filho."

A velha estendeu a mão, agarrou o marido pelo braço e disse: "Orgil pegou a semente e foi embora. Você é tão mau quanto ele".

A velha era uma mulher grande. Ela estava gorda. Ela estava no auge de sua


Assista o vídeo: ESTA EMPREGADA NÃO SABIA QUE ESTAVA SENDO FILMADA 2 (Janeiro 2022).

Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos