Em formação

Osteossarcoma em raças específicas de caninos


O osteossarcoma, o tipo mais comum de câncer ósseo encontrado em cães, geralmente atinge os ossos longos dos membros de um cão e é muito agressivo. Embora um cão de qualquer idade ou tamanho possa ser diagnosticado com osteossarcoma, a doença tende a afetar cães mais velhos, bem como cães de raças grandes e gigantes.

Raças em risco

Entre os cães de raças grandes propensas à doença estão Labradores, Golden Retrievers, Rottweilers, Greyhounds, Doberman Pinschers, Weimeraners, Setters Irlandeses e Pastores Alemães. Huskies siberianos, samoiedos, akitas e boxers também são vulneráveis. Os cães de raça gigante com risco de contrair a doença incluem cães de caça escoceses, grandes dinamarqueses, São Bernardo, mastins, grandes Pirineus, cães de caça irlandeses, Newfoundlands e cães de montanha de Bernese.

Big Dogs, Big Risk

O tamanho parece ter importância nesta doença grave. De acordo com o VCA Animal Hospitals, cães pesando mais de 36 quilos têm 60 vezes mais probabilidade de ter osteossarcoma do que cães pesando menos de 34 quilos. A National Canine Cancer Foundation observa que um cão de raça gigante, como um grande dinamarquês, tem até 200 vezes o risco de desenvolver osteossarcoma do que um cão de brinquedo ou de raça pequena. Um cão que sofreu uma lesão óssea contundente também pode ter um risco maior da doença, de acordo com PetMD.com. Embora a doença seja incomum em raças de cães de pequeno porte, qualquer cão pode desenvolver esse tipo de câncer.

Os sintomas não discriminam entre as raças

Os princípios básicos do osteossarcoma são os mesmos, independentemente da raça. Embora possa afetar os ossos da cabeça e do tronco de um cão, seus membros correm maior risco, principalmente os ossos próximos ao ombro, pulso e joelho. A claudicação é o sinal clássico de osteossarcoma; pode ir e vir ou piorar com o tempo. Um cão pode ter inchaço e dor nas articulações ou ossos, bem como sentir-se letárgico e desinteressado em comer. Às vezes, o osso afetado pode quebrar devido a um pequeno trauma. Raios-X, biópsia óssea e exames de sangue fazem parte do processo diagnóstico.

Conforto é a Chave

O tratamento se concentra em evitar que o câncer se espalhe ainda mais e em deixar o cão o mais confortável possível. Na maioria dos casos, a amputação do membro afetado é recomendada, embora às vezes o tumor seja removido do local. A quimioterapia costuma fazer parte do tratamento, para manter a disseminação do câncer sob controle. Os antiinflamatórios são usados ​​normalmente como agentes de controle da dor. O prognóstico para um cão com osteossarcoma não é favorável e depende de se e com que extensão o câncer se espalhou. Geralmente, cerca de metade dos cães diagnosticados sobrevive um ano com protocolos de tratamento padrão; menos de 30% sobrevivem dois anos e menos de 10% fazem três anos. A pesquisa, em andamento, ainda não mostrou por que cães de raças grandes são propensos a osteossarcoma ou o que causa a doença. Além disso, não há como prevenir o câncer.


Assista o vídeo: OSTEOSSARCOMA PAROSTEAL (Outubro 2021).

Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos