Em formação

Reforço positivo e negativo para treinamento de cães


Os treinadores de cães debatem o papel da recompensa e da punição na formação do comportamento de um cão. Para entender esse papel, você deve primeiro entender a diferença entre os dois tipos de reforço e como eles diferem dos conceitos de punição positiva e negativa.

Reforço versus punição

Quando os treinadores criticam o treinamento negativo do cão, geralmente estão se referindo a um treinamento que depende de punição em vez de reforço. A punição e o reforço podem ser positivos ou negativos. A diferença entre os dois termos é realmente se você deseja que o comportamento específico do cão aconteça com menos frequência (punição) ou com mais frequência (reforço). O aspecto negativo ou positivo de ambos os métodos refere-se ao fato de o treinador tirar algo (negativo) ou adicionar algo (positivo) para realizar a mudança de comportamento desejada. Coleiras que aplicam um choque elétrico a um cão que late excessivamente são um exemplo de punição positiva - o choque é adicionado para reduzir a frequência do comportamento.

Reforço positivo

Os treinadores que usam reforço positivo usam recompensas para encorajar o cão a repetir um comportamento específico. As recompensas podem ser guloseimas, carinho ou um brinquedo. Assim que o cão fizer o comportamento desejado, a recompensa precisa ser dada. Por exemplo, se você treinar um cão para sentar, então, assim que seus quartos traseiros tocarem o chão, você precisará fornecer sua recompensa. A maioria dos treinadores recomenda reconhecer o comportamento desejado com elogios, como dizer "bom cachorro" em voz estridente para que o cão saiba que você está satisfeito.

Reforço Negativo

Embora os treinadores de cães hoje geralmente evitem o reforço negativo, esse método de treinamento também pode ser eficaz sem prejudicar o cão ou seu relacionamento com o dono. De acordo com a treinadora de cães da polícia Deborah Palman, o reforço negativo, como puxar uma coleira, também pode treinar um cão para aumentar o comportamento desejado. A chave, entretanto, é libertar o cão de seu estado de desconforto assim que ele fizer o comportamento desejado. As cercas elétricas são um bom exemplo. O cão fica chocado quando chega muito perto do perímetro, mas os choques param quando ele se afasta do limite, então ele começa a se afastar da borda do quintal com mais frequência.

Punição Negativa e Reforço Positivo

A punição negativa associada ao reforço positivo pode ser uma ferramenta poderosa de treinamento, especialmente como alternativa à punição positiva. Se um cão pula sobre as pessoas, por exemplo, alguns treinadores podem recomendar punições positivas, como dar uma joelhada no peito do cão para fazê-lo se abaixar. No entanto, treinadores como Dawn Sylvia-Stasiewicz sugerem o uso de punição negativa, ignorando o cão (retirando a atenção que ele deseja para diminuir a frequência de comportamentos indesejados). Quando o cão finalmente se senta e para de pular, o treinador pode dar ao cão atenção como um reforço positivo. Ao combinar os dois métodos, o treinador pode simultaneamente reduzir o comportamento indesejado e aumentar o comportamento desejado.

Perigos de punição positiva

Alguns treinadores, entretanto, recomendam formas extremas de punição positiva, especialmente para cães agressivos. Um estudo de 2009 sobre treinamento de cães e agressão descobriu que métodos como punição física e submissão forçada realmente faziam o cão responder agressivamente em pelo menos 25% dos casos. Outro estudo, cinco anos antes, descobriu que cães treinados com punição positiva exibiam mais problemas de comportamento do que cães que não o eram. Além disso, um estudo de 2010 ilustrou como a punição positiva usada em cães pequenos pode realmente aumentar o medo, a ansiedade e a agressão dos cães.

Referências

Recursos


Assista o vídeo: Diferença entre reforço positivo e negativo (Janeiro 2022).

Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos